Painéis de segurança NR12

Dedes dezembro de 2010 a NR12 vem sendo atualizada afim de melhorar entendimento as Normas de segurança vigentes no Brasil, porem muitas máquinas ainda não atendem aos requisitos ou estão instaladas de forma errada.

Os painéis de segurança projetados pela SYSMAQ podem ser montador com relés de segurança ou CLP de segurança, os relés são mais indicados para pequenas e simples automações, já os CLPs de segurança são mais indicados quando existirem vários pontos de monitoramento, ele facilita a lógica de intertravamento e reduz o tamanho do painel.

Os painéis dever possuir alguns itens conforme NR12:

  • Chave Geral
  • Sinalizações de painel Energizado
  • Sinalização adequada
  • Aterramentos
  • Ser montado em Extra baixa tensão
  • Possuir contatores em redundância para emergência e para os demais acionamentos de safety, os mesmos precisam ter a seguinte característica:

 

Contatos espelho: um contato auxiliar normalmente fechado (NF) que não pode estar na posição fechada ao mesmo tempo que um dos contatos principais (de força ou potência) no mesmo contator. Assim, contatos espelho é uma característica que diz respeito à ligação mecânica entre os contatos auxiliares e os contatos principais de um contator. 

(Fonte: NR 12)

Contatos mecanicamente ligados: uma combinação de contatos normalmente abertos (NA) e contatos normalmente fechados (NF) projetada de modo que não possam estar simultaneamente na posição fechada (ou aberta). Aplica-se a contatos auxiliares de dispositivos de comando onde a força de atuação é provida internamente, tais como: contatores.

(Fonte: NR 12)

  • Proteções adequadas de entrada.
  • Ser adequado a categoria da máquina, estas categorias são divididas em:

 

Categoria B: Principalmente caracterizada pela seleção de componentes. A ocorrência de um defeito pode levar à perda da função de segurança. 

Categoria 1: A ocorrência de um defeito pode levar à perda da função de segurança, porém a probabilidade de ocorrência é menor que para a categoria B. 

Categoria 2: A função de segurança é verificada em intervalos pelo sistema: 

a) a ocorrência de um defeito pode levar a perda da função de segurança entre as verificações; e 

b) a perda da função de segurança é detectada pela verificação. 

 

Categoria 3: quando o comportamento de sistema permite que: 

a) quando ocorrer o defeito isolado, a função de segurança sempre seja cumprida; 

b) alguns, mas não todos, defeitos sejam detectados; e 

c) o acúmulo de defeitos não detectados leve à perda da função de segurança. 

 

Categoria 4: quando as partes dos sistemas de comando relacionadas à segurança devem ser projetadas de tal forma que: 

a) uma falha isolada em qualquer dessas partes relacionadas à segurança não leve à perda das funções de segurança, e 

b) a falha isolada seja detectada antes ou durante a próxima atuação sobre a função de segurança, como, por exemplo, imediatamente, ao ligar o comando, ao final do ciclo de operação da máquina. Se essa detecção não for possível, o acúmulo de defeitos não deve levar à perda das funções de segurança.

Solicite seu

Deixe seus dados de contato, abaixo, para que possamos contatá-lo o mais rápido possível.

Ou fale diretamente com um de nossos consultores pelo whatsapp.